Drops Portocred

Antecipação Saque-aniversário FGTS

Sem parcelas mensais! O pagamento é feito com seu saldo parado no FGTS.
Saiba mais

Aprenda o que é CDB e descubra porque ele é um dos investimentos mais seguros disponíveis no mercado.

Moedas

O CDB é um tipo de investimento que combina segurança e boa rentabilidade. Por ser uma aplicação que faz parte dos ativos de renda fixa, ele traz aos investidores uma boa previsão de qual será o rendimento do dinheiro. Por isso mesmo, é muito buscado por aqueles que estão começando a investir. 

Atualmente, esses títulos contam com diferentes regras de rentabilidade, prazos e liquidez. Por isso, é preciso entender como cada um funciona para fazer a escolha certa para você. Pensando nisso, criamos esse artigo com as informações mais importantes sobre CDBs, quais são as opções disponíveis para investimento, bem como suas regras e vantagens. Confira! 

Entenda o que é CDB

O Certificados de Depósito Bancário, sigla para CDB, é um tipo de investimento em renda fixa que tem se tornado muito popular entre os investidores nos últimos anos, principalmente entre os iniciantes, devido à facilidade e segurança da aplicação. 

O funcionamento desta aplicação é muito simples. Sabe quando alguém solicita um empréstimo ao banco e depois precisa devolver o dinheiro com juros? O CDB funciona dessa forma, porém, é o investidor quem empresta dinheiro ao banco e depois recebe o valor de volta com juros, que é a rentabilidade do investimento.

O CDB surgiu da necessidade dos bancos de melhorarem seu fluxo de caixa trazendo mais liquidez às operações do dia a dia. Além disso, esse investimento serve para os bancos captarem recursos para suas operações. 

Todo CDB possui uma data de vencimento, que é o prazo final da aplicação. Ou seja, o investimento tem um dia certo para acabar e devolver o dinheiro, com a rentabilidade da aplicação, para a conta do investidor. 

Mas, ainda que esse investimento tenha uma data para terminar, em boa parte dos casos você pode resgatar o dinheiro antes do vencimento. Isso porque alguns CDBs contam com liquidez alta. 

O termo liquidez é usado para determinar qual a rapidez em que o dinheiro investido volta para a sua conta depois que você solicita o resgate. Ou seja, é o quão rápido - ou não, um investimento pode ser convertido em dinheiro. 

Sendo assim, os CDBs podem ter liquidez alta ou baixa. Se ela é alta, significa que mais rápido o dinheiro estará na conta corrente do investidor. Agora, se é baixa, o resgate irá demorar um pouco mais. 

A liquidez desse investimento costuma aparecer da seguinte maneira: 

  • D+0: solicitado o resgate, o dinheiro cai na conta até o final do dia;
  • D+1: você pede o resgate hoje e em até um dia útil o dinheiro está disponível;
  • D+30: você solicita o resgate e em 30 dias o dinheiro está na conta;
  • D+60: quando o resgate é solicitado, o valor retorna para a sua conta em 60 dias. 

Sendo assim, o número depois do D+ significa os dias que o dinheiro do investimento leva para cair na conta após a solicitação do resgate. 

O CDB vem tomando o lugar da poupança entre os investimentos de renda fixa mais populares entre os brasileiros. O termo "investimento em CDB" foi o mais pesquisado no Google quando o assunto é investimento no ano de 2021

De acordo com um estudo da B3, a Bolsa de Valores do Brasil, o CDB  é o investimento que mais cresceu em 2021. Atualmente, 70,8% das pessoas que aplicam em renda fixa possuem pelo menos um título de CDB. 

Uma das razões dessa popularidade é que esse investimento conta com três tipos de títulos que podem ser usados para curto, médio e longo prazo. Aprenda a seguir sobre as características de cada um:

Os tipos de CDBs

Os CDBs contam com três tipos de títulos, sendo que cada um deles possui características de liquidez e rentabilidade diferentes. 

Veja quais são os tipos de CDB disponíveis para você investir: 

Prefixada

Um CDB prefixado já vem com uma rentabilidade definida. Trata-se de uma porcentagem fixa do quanto o dinheiro irá render. Dessa forma, o investidor já sabe o valor exato do retorno da aplicação. 

Ou seja, se você investir em um título com rentabilidade de 7% ao ano, por exemplo, então é um CDB prefixado. 

Pós-fixada

Um CDB pós-fixado é aquele onde o rendimento do título está atrelado a um índice da economia brasileira. O indicador usado nos CDBs é o CDI. 

O CDI hoje está em 9,15% ao ano, então essa será a rentabilidade de um CDB pós-fixado. Esse indicador pode subir ou descer durante os meses do ano, sendo assim, um título pós-fixado irá remunerar o investidor com base na porcentagem do CDI. 

Híbrida

Os CDBs que contam com a rentabilidade híbrida juntam as características dos prefixados e pós-fixados.

O funcionamento é assim: uma parte da rentabilidade é fixa e a outra é atrelada a um indicador econômico, que é o IPCA, o índice da inflação brasileira. 

Então a rentabilidade de um título híbrido é X% + IPCA. 

Quais são as vantagens de investir em CDBs?

Aplicar seu dinheiro em CDB é uma ótima escolha para seus investimentos. Veja a seguir as principais vantagens desses títulos. 

Baixo risco

Todo investimento em renda fixa conta com baixo risco, pois trata-se de uma aplicação conservadora. Dessa forma, os CDBs são uma opção que traz segurança ao investidor, já que o dinheiro fica protegido e com boa rentabilidade. 

Além do baixo risco desses títulos, eles contam com a garantia do FGC, o Fundo Garantidor de Crédito, um fundo que protege o investidor em algumas aplicações de renda fixa, como é o caso do CDB. 

Isso quer dizer que, caso a instituição financeira que você adquiriu um título de CDB passe por alguma dificuldade, você irá receber de volta o valor investido, no limite de R$250 mil.

Rende mais que a poupança

Dependendo do título de CDB, o rendimento pode ser de até o dobro da poupança. Atualmente, a caderneta está rendendo em torno de 0,5% ao mês, ou seja, 6,17% ao ano, enquanto um CDB pós-fixado que rende 100% do CDI atualmente oferece um retorno de 9,15% ao ano para o investidor. 

Outro ponto importante é que o CDB rende todo dia, diferente da poupança, que rende somente na data de aniversário do investimento. Ou seja, se você colocar R$100 na poupança no dia 10 de janeiro, o rendimento só virá no dia 10 de fevereiro, então, se você precisar do dinheiro antes da data aniversário, ele virá sem rendimentos.  

Além disso, se o investidor optar por um título híbrido, ele protege o dinheiro da inflação, mantendo o poder de compra, já que esse CDB remunera de acordo com o IPCA, o indicador financeiro da inflação brasileira. 

Facilidade

Outra vantagem do CDB é a facilidade em realizar o investimento. É tão simples quanto aplicar o dinheiro na caderneta da poupança. 

Geralmente, a aplicação é feita toda na internet e, em questão de minutos, seu dinheiro já estará investido em um CDB e rendendo.

Liquidez

Os CDBs de liquidez diária são uma ótima escolha para aqueles que querem deixar o dinheiro rendendo, porém ter acesso a ele a qualquer momento. 

Entenda os riscos de investir nesse título

Apesar de ser um investimento bastante seguro, o CDB não é livre de riscos. Mesmo que a rentabilidade seja definida no momento da aplicação, tornando possível prever o retorno do investimento, os títulos contam com o risco de crédito e risco de liquidez. 

O primeiro diz respeito à instituição financeira que você investiu seu dinheiro, que pode passar por problemas financeiros ou ir à falência. Para casos como estes, existe o FGC, que comentamos anteriormente. Porém, ele assegura investimentos de até R$250 mil por CPF. Então, se você pretende investir mais do que isso, a dica é dividir a quantia a ser investida entre duas ou mais instituições financeiras. 

Já o risco de liquidez diz respeito à rapidez com que o dinheiro do investimento retorna a sua conta. Sendo assim, se você escolher um CDB com baixa liquidez, onde o valor pode demorar meses para voltar para sua conta corrente, você está correndo o risco da liquidez. 

Porém, se você estiver em dia com suas contas e com um bom dinheiro investido em aplicações de alta liquidez, esses dois riscos podem ser diminuídos. 

Imposto de Renda em CDB: declaração e tributação

Para declarar o CDB no seu imposto de renda anual é preciso entender qual a situação que seu investimento se encontra. 

Se o título já foi resgatado, você deve seguir os seguintes passos: 

  • Abra o programa do Imposto de Renda, que pode ser baixado no site da receita federal;
  • Clique na aba “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva”;
  • Coloque o "Código 06", que é referente aos rendimentos de aplicações;
  • Informe se os rendimentos são seus ou do dependente;
  • Insira o nome e o CNPJ do banco ou financeira a e valor recebido;
  • Repita esses passos até preencher todos os rendimentos recebidos com CDB.

Agora, se você ainda possui o título de CDB sob custódia de alguma instituição, os passos são: 

  • Abra o programa do Imposto de Renda;
  • Clique na aba “Bens e Direitos”;
  • Coloque o "Código 45", que se refere a investimentos de renda fixa;
  • Descreva qual o tipo de renda fixa, neste caso, CDB, o nome da instituição financeira/empresa emissora do título, CNPJ e dados da sua conta corrente;
  • Preencha os campos “Situação em 31/12/2021” e “Situação em 31/12/2022” com os valores que constam no informe de rendimentos;
  • Repita esses passos com todos os títulos de CDB que você possui.

Já a tributação dos CDBs é feita direto na fonte. Ou seja, você não precisa se preocupar com isso, já que na hora do resgate, o valor do imposto já é abatido. 

A tributação segue a tabela regressiva, ou seja, quanto mais tempo o dinheiro ficar investido, menor será a alíquota do IR a ser paga.  Veja na tabela abaixo como funciona: 

Tempo da aplicação

Alíquota do IR

Até 6 meses

22,25%

De 6 meses a 1 ano

20%

De 1 a 2 anos

17,5%

Mais de 2 anos

15%. 

Vale lembrar que o valor é referente ao rendimento do título, e não o valor total investido. 

Quando vale a pena investir?

O CDB é um investimento que raramente tem "contra indicações". Por ser bastante seguro e fácil de aplicar, ele pode fazer parte da carteira de qualquer investidor. 

Se o foco é criar uma reserva de emergência, então um CDB pós-fixado com liquidez diária cumpre bem a sua função. Agora se o investidor pretende usar o dinheiro para projetos de médio prazo, um título prefixado é uma boa opção, já que é possível saber qual será a rentabilidade real do investimento. 

Já para planos de longo prazo, um CDB híbrido que corrige o dinheiro da inflação, mantendo o poder de compra do investidor tende a ser o mais indicado. Sendo assim, existe um CDB para cada tipo de objetivo. 

A Portocred oferece opções de investimento em CDB com segurança e rentabilidade. Ao aplicar seu dinheiro nos títulos disponíveis na Portocred você investe seu dinheiro em um produto de renda fixa com baixo risco e com taxas de rendimento prefixadas ou pós-fixadas. Isso garante boas opções de acordo com seus objetivos atrelados a uma boa rentabilidade. 

Conheça agora e faça uma simulação de investimento!

Ficou interessado em investir seu dinheiro? Conheça todos os investimentos disponíveis na Portocred e comece a aplicar com rentabilidade acima da média, segurança e credibilidade.

Conheça os investimentos Portocred! 

Canais de
atendimento

Central de cobrança

Regularização de débitos

0800 600 0771

2ª a 6ª feira, das 8h às 20h40 Sábado, das 8h às 14h20

negociacao@portocred.com.br

SAC & Central de relacionamento

Informações, reclamações, cancelamentos, sugestões e elogios

0800 600 0777

2ª a 6ª feira, das 8h às 18h00

sac@portocred.com.br

Ouvidoria

Caso já tenha recorrido aos nossos canais de atendimento e não esteja satisfeito

0800 601 7700

2ª a 6ª feira, das 9h às 16h00

ouvidoria@portocred.com.br

É necessário ter um número de protocolo de atendimento para ser atendido na ouvidoria.

Copyright © 2022
Portocred S/A Crédito, Financiamento e Investimento

CNPJ 01.800.019/0001-85

Endereço: Av. Doutor Nilo Peçanha, 2900, 11º andar, Conjunto 1101, Chácara das Pedras - Porto Alegre, RS. CEP 91330-001

Banco Central do Brasil

Atendimento: 145

Deficiente Auditivo/Fala: 0800 642 2345

www.bcb.gov.br

Procon: 151

Taxas de empréstimo segundo informação disponível no site do Banco Central: Empréstimo pessoal: 5,50% a 24,41% ao mês - Empréstimo Consignado Público: 3,67% a 5,96% ao mês - Empréstimo Consignado Privado: 1,99% a 7,99% ao mês - Financiamento de veículo: 2,69% a 6,04% ao mês.