Drops Portocred

Antecipação Saque-aniversário FGTS

Sem parcelas mensais! O pagamento é feito com seu saldo parado no FGTS.
Saiba mais

Quer investir em CDB mas não sabe como funciona esse tipo de investimento? Então clique aqui e aprenda todas as informações para iniciar nesse mercado!

 

Neste conteúdo da Portocred, aprenda a investir em CDB e conheça as vantagens desta aplicação.

Se você já fez uma pesquisa rápida sobre investimentos, seguramente se deparou com a opção de investir em CDB, e isso não é à toa. 

Essa modalidade de aplicação é  popular entre os brasileiros que estão deixando de lado a poupança para buscar opções com melhores retornos. Entenda a seguir mais detalhes sobre os CDBs e descubra como esse investimento funciona.

Saiba como investir em CDB

Antes de investir em CDB, é preciso entender o que é a aplicação, como esse investimento funciona e quais são as suas principais características. 

CDB, que é a sigla para Certificado de Depósito Bancário, é um dos investimentos em renda fixa mais populares no Brasil. Essa aplicação é oferecida por bancos, corretoras e financeiras e oferece uma rentabilidade superior à da poupança. 

Quem decide investir em CDB está, na verdade, fazendo um empréstimo para uma instituição financeira. Posteriormente, a instituição financeira devolve o dinheiro com juros. Esse é justamente o retorno da aplicação. O objetivo desse investimento é captar recursos para os bancos financiarem as suas atividades. 

Para investir em CDB é muito simples, basta você ter uma conta em um banco, financeira ou corretora, acessar a área de investimentos e fazer sua aplicação. 

Um dos benefícios de investir em CDB é que ele é uma aplicação muito acessível, já que normalmente não é preciso muito dinheiro para começar a investir nesses títulos. Na Portocred, você encontra investimentos em CDB a partir de R$100. 

O CDB vem tomando o lugar da poupança entre os investimentos de renda fixa mais populares entre os brasileiros. O termo "investimento em CDB" foi o mais pesquisado no Google quando o assunto é investimento no ano de 2021

De acordo com um estudo da B3, a Bolsa de Valores do Brasil, o CDB  é o investimento que mais cresceu em 2021. Atualmente, 70,8% das pessoas que aplicam em renda fixa possuem pelo menos um título de CDB. 

Conheça todas as opções de investimentos da Portocred. 

Entenda o que é CDB

O funcionamento desta aplicação é muito simples. Sabe quando alguém solicita um empréstimo ao banco e depois precisa devolver o dinheiro com juros? O CDB funciona dessa forma, porém, é o investidor quem empresta dinheiro ao banco e depois recebe o valor de volta com juros, que é a rentabilidade do investimento.

Todo CDB possui uma data de vencimento, que é o prazo final da aplicação. Ou seja, o investimento tem um dia certo para acabar e devolver o dinheiro, com a rentabilidade da aplicação, para a conta do investidor. 

Mas, ainda que esse investimento tenha uma data para terminar, em boa parte dos casos você pode resgatar o dinheiro antes do vencimento. Isso porque alguns CDBs contam com liquidez alta. 

O termo liquidez é usado para determinar qual a rapidez em que o dinheiro investido volta para a sua conta depois que você solicita o resgate. Ou seja, é o quão rápido - ou não, um investimento pode ser convertido em dinheiro. 

Sendo assim, os CDBs podem ter liquidez alta ou baixa. Se ela é alta, significa que mais rápido o dinheiro estará na conta corrente do investidor. Agora, se é baixa, o resgate irá demorar um pouco mais. 

A liquidez desse investimento costuma aparecer da seguinte maneira: 

  • D+0: solicitado o resgate, o dinheiro cai na conta até o final do dia;
  • D+1: você pede o resgate hoje e em até um dia útil o dinheiro está disponível;
  • D+30: você solicita o resgate e em 30 dias o dinheiro está na conta;
  • D+60: quando o resgate é solicitado, o valor retorna para a sua conta em 60 dias. 

Sendo assim, o número depois do D+ significa os dias que o dinheiro do investimento leva para cair na conta após a solicitação do resgate.

Os diferentes títulos de CDB

Apesar de ser um investimento fácil de se fazer, é preciso conhecer e entender as regras de todas as categorias de CDBs. 

Atualmente, existem três tipos de CDBs disponíveis no mercado com diferentes regras de rentabilidade e liquidez. Conheça as características de cada um a seguir. 

CDB Pós-fixado

Os pós-fixados são a categoria mais popular entre aqueles que querem investir em CDB. Ele é aquele onde o rendimento do título está atrelado a um índice da economia brasileira. Esse indicador financeiro geralmente é o CDI.

O CDI hoje está em 9,15% ao ano, então essa será a rentabilidade de um CDB pós-fixado. Esse indicador pode subir ou descer durante os meses do ano, sendo assim, um título pós-fixado irá remunerar o investidor com base na porcentagem do CDI.

CDB Prefixado

O investidor que aplicar em um CDB prefixado já sabe exatamente qual vai ser o retorno do investimento no momento em que comprar o título. Ou seja, o CDB prefixado já vem com uma rentabilidade definida. 

Isso acontece porque nesses casos a taxa de rentabilidade é fixa e não possui oscilação, como pode acontecer com pós-fixados, por exemplo. Dessa forma, o investidor já sabe o valor exato do retorno da aplicação. 

Se você investir em um título com rentabilidade de 7% ao ano, por exemplo, então é um CDB prefixado. 

CDB Híbrido 

A rentabilidade dos CDBs híbridos é basicamente uma junção dos dois anteriores. Ou seja, o rendimento é atrelado a um percentual já pré-definido no momento da aplicação e mais uma taxa pós-fixada, neste caso, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). 

O funcionamento é assim: uma parte da rentabilidade é fixa e a outra é atrelada a um indicador econômico, que é o IPCA, o índice da inflação brasileira. Então a rentabilidade de um título híbrido é X% + IPCA.

Prazo de vencimento

Ao investir em CDB, a aplicação tem um prazo de vencimento, que é a data para o resgate do valor investido. Esse prazo pode ser seis meses, um ano, dois anos ou cinco anos. É a instituição financeira que emite o título que define qual será o prazo de vencimento. 

Porém, mesmo que esses investimentos possuam um prazo, cada CDB pode ter um tipo de liquidez. Por exemplo, alguns podem ter liquidez diária, ou seja, é possível resgatar o dinheiro com facilidade antes do prazo de vencimento, enquanto em outros o resgate só pode ser feito na data final. 

Prazo de carência 

Além do vencimento, alguns CDBs ainda contam com um prazo de carência. Então, cuidado para não confundir os dois. 

Enquanto o prazo de vencimento corresponde à data que a aplicação termina, o prazo de carência é o tempo mínimo que o CDB precisa ficar aplicado. Alguns títulos têm carências bem pequenas, como um dia, enquanto outros possuem carência bem mais longa, como um ano. 

Saber qual o prazo de carência antes de investir em um CDB é muito importante, já que existem algumas opções que não permitem o resgate antes do prazo de vencimento. 

Vale a pena investir em CDB?

Vale a pena sim! Além de oferecer um retorno bem maior que o da poupança, investir em CDB é tão simples como aplicar dinheiro na caderneta. 

Para calcular o rendimento de um CDB não tem mistério. Se o investimento for pós-fixado acompanhando a taxa CDI, é preciso ficar de olho neste índice para estimar o retorno da aplicação.

Por exemplo, se o CDI estiver em 6%, isso significa que esse será o retorno do investimento no ano. Então, se você investir R$1 mil, em 12 meses você terá R$1.060 bruto de retorno. 

Agora se o investimento for um CBD prefixado, já é possível saber exatamente quanto a aplicação irá render. Se for um CDB prefixado em 7% com vencimento em 12 meses, por exemplo, e você investir R$2 mil, ao fim da aplicação você terá um total de R$2.140 bruto. 

Já no caso dos CDBs híbridos, o rendimento funciona da seguinte forma: existe uma taxa fixa de juros anual (por exemplo, 4%) mais a variação do IPCA. Esses dois índices incidem no rendimento da aplicação híbrida. Para calcular a rentabilidade final, é necessário somar essas duas taxas. 

Qual a segurança desse tipo de investimento?

Por ser uma aplicação em renda fixa, investir em CDB traz riscos muito baixos aos investidores. Além disso, todos os títulos contam com a garantia do Fundo Garantidor de Crédito, o FGC, o que torna os CDBs um dos investimentos mais seguros do país. 

O FGC é uma associação sem fins lucrativos e de caráter privado que atua de maneira independente ao mercado financeiro. Ele foi criado em 1995 para dar mais segurança aos investidores de renda fixa.

A sua atuação funciona assim: caso uma instituição financeira quebre ou não consiga cumprir com os pagamentos, o FGC garante que os clientes recebam o dinheiro de volta. A instituição fica responsável por devolver até R$250 mil por CPF ou CNPJ. Esse limite é válido por instituição financeira. 

Por exemplo, se um investidor tem R$200 mil no banco X e R$100 mil no banco Y, e ambos os bancos quebrarem, ele recebe os R$ 200 mil do banco X e R$ 50 mil do Y.

É importante ressaltar que as chances de situações como essas acontecerem são muito pequenas, porém, contar com o FGC torna os investimentos em CDB muito mais seguros. 

Confira no site do FGC todas as instituições financeiras, incluindo a Portocred, que oferecem essa garantia. 

Qual o valor mínimo para investir?

O valor mínimo depende muito da instituição financeira e do tipo de CDB escolhido. Atualmente, existem no mercado títulos com aplicação mínima de R$1 até CDBs onde o investimento inicial deve ser acima de R$5 mil. Ou seja, tem CDB para todos os bolsos!

De maneira geral, o valor mínimo sempre irá depender do emissor do título. Então, antes de investir em um CDB, além de buscar informações sobre a rentabilidade, pesquise também qual é a aplicação mínima.

Se você deseja aplicar seu dinheiro em algum CDB com um valor inicial que você ainda não possui, é possível escolher um título que aceite investimento menores e então, poupar por mais um tempo até ter o valor suficiente para aplicar no CDB que você queria inicialmente.  

Vantagens dos CDBs

Conhecendo um pouco mais sobre os CDBs, já foi possível perceber algumas vantagens da aplicação, como a segurança e facilidade para fazer o investimento. Mas existem outros benefícios de aplicar seu dinheiro nesses títulos. 

O primeiro deles é o rendimento. Atualmente é possível encontrar títulos de CDBs que remuneram mais do que 100% do CDI. Dessa forma, os investidores conseguem um retorno ainda maior do que o oferecido pela poupança, deixando o dinheiro protegido e com bons rendimentos. 

A liquidez também é uma ótima vantagem de investir em CDB. Liquidez significa a facilidade e velocidade em que uma aplicação financeira consegue ser revertida em dinheiro. Ou seja, é o tempo que leva para o investidor ter o dinheiro em sua conta-corrente após a solicitação do resgate. 

Alguns CDBs possuem liquidez diária. Isto quer dizer que o dinheiro é devolvido ao investidor em até um dia útil. Uma ótima vantagem para quem não pode esperar muito para ter dinheiro em mãos. 

Investir em CDB também é uma excelente forma de diversificar suas aplicações. A diversificação significa investir seu dinheiro em mais de um produto financeiro. 

Essa é a recomendação de todos os especialistas em investimentos para proteger seu patrimônio e ampliar as oportunidades de ganhos. Por isso, os CDBs são bons parceiros para aumentar os rendimentos da sua carteira de investimentos. 

Entenda os riscos de investir nesse título

Apesar de ser um investimento bastante seguro, o CDB não é livre de riscos. Mesmo que a rentabilidade seja definida no momento da aplicação, tornando possível prever o retorno do investimento, os títulos contam com o risco de crédito e risco de liquidez. 

O primeiro diz respeito à instituição financeira que você investiu seu dinheiro, que pode passar por problemas financeiros ou ir à falência. Para casos como estes, existe o FGC, que comentamos anteriormente. 

Porém, ele assegura investimentos de até R$250 mil por CPF. Então, se você pretende investir mais do que isso, a dica é dividir a quantia a ser investida entre duas ou mais instituições financeiras. 

Já o risco de liquidez diz respeito à rapidez com que o dinheiro do investimento retorna a sua conta. Sendo assim, se você escolher um CDB com baixa liquidez, onde o valor pode demorar meses para voltar para sua conta corrente, você está correndo o risco da liquidez. 

Porém, se você estiver em dia com suas contas e com um bom dinheiro investido em aplicações de alta liquidez, esses dois riscos podem ser atenuados.

Imposto de Renda em CDB: declaração e tributação

Para declarar o CDB no seu imposto de renda anual é preciso entender qual a situação que seu investimento se encontra. 

Se o título já foi resgatado, você deve seguir os seguintes passos: 

  • Abra o programa do Imposto de Renda, que pode ser baixado no site da receita federal;
  • Clique na aba “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva”;
  • Coloque o "Código 06", que é referente aos rendimentos de aplicações;
  • Informe se os rendimentos são seus ou do dependente;
  • Insira o nome e o CNPJ do banco ou financeira a e valor recebido;
  • Repita esses passos até preencher todos os rendimentos recebidos com CDB.

Agora, se você ainda possui o título de CDB sob custódia de alguma instituição, os passos são: 

  • Abra o programa do Imposto de Renda;
  • Clique na aba “Bens e Direitos”;
  • Coloque o "Código 45", que se refere a investimentos de renda fixa;
  • Descreva qual o tipo de renda fixa, neste caso, CDB, o nome da instituição financeira/empresa emissora do título, CNPJ e dados da sua conta corrente;
  • Preencha os campos “Situação em 31/12/2021” e “Situação em 31/12/2022” com os valores que constam no informe de rendimentos;
  • Repita esses passos com todos os títulos de CDB que você possui.

Já a tributação dos CDBs é feita direto na fonte. Ou seja, você não precisa se preocupar com isso, já que na hora do resgate, o valor do imposto já é abatido. 

A tributação segue a tabela regressiva, ou seja, quanto mais tempo o dinheiro ficar investido, menor será a alíquota do IR a ser paga.  Veja na tabela abaixo como funciona: 

Tempo da aplicação

Alíquota do IR

Até 6 meses

22,25%

De 6 meses a 1 ano

20%

De 1 a 2 anos

17,5%

Mais de 2 anos

15%. 

 

Vale lembrar que o valor é referente ao rendimento do título, e não o valor total investido. 

Quando vale a pena investir?

O CDB é um investimento que raramente tem "contra indicações". Por ser bastante seguro e fácil de aplicar, ele pode fazer parte da carteira de qualquer investidor. 

Se o foco é criar uma reserva de emergência, então um CDB pós-fixado com liquidez diária cumpre bem a sua função. Agora se o investidor pretende usar o dinheiro para projetos de médio prazo, um título prefixado é uma boa opção, já que é possível saber qual será a rentabilidade real do investimento. 

Já para planos de longo prazo, um CDB híbrido que corrige o dinheiro da inflação, mantendo o poder de compra do investidor tende a ser o mais indicado. Sendo assim, existe um CDB para cada tipo de objetivo. 

A Portocred oferece opções de investimento em CDB com segurança e rentabilidade. Ao aplicar seu dinheiro nos títulos disponíveis na Portocred você investe seu dinheiro em um produto de renda fixa com baixo risco e com taxas de rendimento prefixadas ou pós-fixadas. Isso garante boas oportunidades, de acordo com seus objetivos.

Conheça agora e faça uma simulação de investimento!

 

Canais de
atendimento

Central de cobrança

Regularização de débitos

0800 600 0771

2ª a 6ª feira, das 8h às 20h40 Sábado, das 8h às 14h20

negociacao@portocred.com.br

SAC & Central de relacionamento

Informações, reclamações, cancelamentos, sugestões e elogios

0800 600 0777

2ª a 6ª feira, das 8h às 18h00

sac@portocred.com.br

Ouvidoria

Caso já tenha recorrido aos nossos canais de atendimento e não esteja satisfeito

0800 601 7700

2ª a 6ª feira, das 9h às 16h00

ouvidoria@portocred.com.br

É necessário ter um número de protocolo de atendimento para ser atendido na ouvidoria.

Copyright © 2022
Portocred S/A Crédito, Financiamento e Investimento

CNPJ 01.800.019/0001-85

Endereço: Av. Doutor Nilo Peçanha, 2900, 11º andar, Conjunto 1101, Chácara das Pedras - Porto Alegre, RS. CEP 91330-001

Banco Central do Brasil

Atendimento: 145

Deficiente Auditivo/Fala: 0800 642 2345

www.bcb.gov.br

Procon: 151

Taxas de empréstimo segundo informação disponível no site do Banco Central: Empréstimo pessoal: 5,50% a 24,41% ao mês - Empréstimo Consignado Público: 3,67% a 5,96% ao mês - Empréstimo Consignado Privado: 1,99% a 7,99% ao mês - Financiamento de veículo: 2,69% a 6,04% ao mês.